Publicações por mês

Recurso didático "Alfabeto de Parede com Bocas".

De acordo com Adams e cols. (2006), os fonemas são melhor distinguidos pela maneira como os fones são articulados do que pela forma como soam. Portanto, estimular as crianças a sentir como sua boca e a posição de sua língua se modificam em cada som articulado é uma forma simples de proporcionar o raciocínio fonoarticulatório.

A consciência fonológica e a fonoarticulatória são necessárias para a percepção e a produção dos sons da língua, sendo assim também necessários ao processo de alfabetização.

Por isso montei esse alfabetário de parede, com a parceria da Carla Silva Psicopedagoga, para nos auxiliar nesse processo em sala de aula. Inclusive, aconselho dá uma olhada no seu Curso de neuroplanejamento de aulas.

Vocês perceberam que não coloquei palavras chaves?


Então, foi proposital. Assim cada um poderá colocar palavras de acordo com a realidade e contexto de suas atividades.

Sugiro fazer do momento de exposição, uma aula interativa para que as crianças possam participar desse momento de forma ativa.

Leve diferentes palavras e imagens para sua sala de aula. Distribua entre os alunos e questione sobre a palavra e imagem que cada um pegou. Em qual letra poderia colar e por quê?

Faça-os refletir sobre os sons